2009/10/09

Nhanduti aqui, ali e no Peru



Com a abertura do novo RENDA TENERIFE OU RENDA SOL este blog assume sua vocação e toma por objeto principal o nhanduti, a renda de agulha feita na América Latina e que tem características específicas, embora seja o nome utilizado para denominar genericamente a(s) renda(s) de agulha com urdimento radial que encontramos na América Latina.

A verdadeira expressão da "renda nhanduti" é aquela nascida "da aculturação de dois mundos", como definiu Josefina Plá e como a renda foi abordada por Annick Sanjurjo na obra Ñanduti, Encaje Paraguayo. Ela é tecida sobre um pano esticado em um bastidor de madeira em que a composição final é esboçada e onde os módulos, na sua maior parte mas não exclusivamente radiais, vão compor a peça final, que depois de pronta é engomada e então separada do tecido.

O nhanduti é considerado um produto típico do Paraguai e a primeira notícia que os historiadores têm de seu exercício seria do ínício do Séc. XVIII, ocorrendo, entretanto, o incremento da sua prática, assim como de outros fazeres femininos, no período pós Guerra Grande (1864-1870), que matou 90% dos homens paraguaios com mais de sete anos de idade, dando como local desta retomada a cidade de Itaugua, situada nos  arredores de Assunção,  onde hoje conta-se cerca de 15000 rendeiras em atividade.

 Mas esta forma de fazer renda é encontrada em toda essa região estendida ao redor da "madre de ciudades" Assunção, cidade mais antiga da América. Temos notícia que se encontra a renda nhanduti na Argentina, no Peru, Bolívia, Chile e na região fronteiriça do Brasil, ainda que em algumas destas regiões ela se encontre em vias de extinção (ou já extinta?).

São poucos exemplares de cada região, mas pelas fotos garimpadas é possível observarmos a similaridade entre as peças de nhanduti dessas regiões (v. as imagens), onde se inclui o lugar americano acima, vindo da cidade de San Isidro, Peru. No site  EL TALLER, clique em "la mantelleria" e depois em "Individuales"
.
fontes: ; Josefina Plá in Nãnduti, Encrucijada de dos mundos, Colecion Museo de Barro, 1993, Asunción; http://www.verdestrigos.org/wordpress/?p=1265

Nenhum comentário: